terça-feira, dezembro 07, 2010

Pastores que odeiam o Natal

Por Renato Vargens
Alguns pastores têm afirmado que o natal é uma festa pagã, e em virtude desta crença tem extrapolado o limite da autoridade cristã proibindo os membros de suas igrejas de celebrarem a data que lembra o nascimento de Cristo. Para estes, o simples fato de os cristãos armarem em suas casas uma árvore de natal, abre “legalidade” para a ação do diabo. Tais pastores , fundamentados numa espiritualidade despótica proíbem de púlpito a armação de árvores, as reuniões familiares do dia 24 de dezembro, além de qualquer confraternização que envolva troca de presentes.

Para piorar a situação os generais da fé ensinam que o cristão que não atende as demandas pastorais encontra-se em rebeldia contra autoridade constituída e que a conseqüência da desobediência é o juízo divino.

Caro leitor, o pastor não possui autoridade para legislar naquilo que a Bíblia não legisla, além do mais, ninguém pode interferir na liberdade cristã. Ora, determinar que o crente está proibido de possuir uma árvore de natal em casa, ou ouvir música natalina, é arbitrário e extrapola os pressupostos de autoridade bíblica. Além disso, afirmar que o cristão que monta uma árvore de natal dá legalidade ao diabo, é usar de subterfúgios escusos e anticristãos cuja configuração determina no mínimo abuso de poder.

Ora,  como escrevi anteriormente o Natal nos oferece uma excelente oportunidade de evangelização.  O Natal é um Presente de Deus à Humanidade. E este presente tem um nome: Seu nome é Jesus. Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz, Santo de Deus, Cordeiro de Deus, Autor da Vida, Senhor Deus, Todo-Poderoso, Leão da Tribo de Judá, Autor e Consumador da Fé, Advogado, o Caminho, Sol Nascente, Senhor de Todos, Eu Sou, Filho de Deus, Pastor e Bisopo das Almas, Messias, a Verdade, Salvador, Pedra Angular, Rei dos reis, Reto Juiz, Luz do Mundo, Cabeça da Igreja, Estrela da Manhã, Sol da Justiça, Senhor Jesus Cristo, Supremo Pastor, Ressurreição e Vida, Plena Salvação, Guia, O Alfa e o Omega!

Pense nisso!
Renato Vargens
Renato Morais disse...

Olá Pr Renato!! Sou um frequentador fiel do seu blog e inclusive o sigo no twitter (@tatomorais). Deixo minha opnião sobre o assunto (que não vale muita coisa, rsrs).
Acredito que o Cristianismo ficou aberto a muitas culturas e suas crenças estranhas.
Como somos cristãos protestantes temos como base e regra de fé unicamente a bíblia (legado deixado pelo reformador Lutero). Nesse ponto não temos base para celebrarmos o Natal, porém quase a totalidade dos cristãos comemoram. Agora as festas que são bíblicas deixamos de lado (tabernáculo, páscoa, etc). No que será que o Senhor se agrada ? Numa festa de origem pagã (fato!!) ou nas festas que ele constituiu para o seu povo (fato) ?

Quanto aos pastores que proíbem, penso que seja autoritarismo tb! Mas que ninguém fique enganado !!

Fique na paz !!

Renato Morais (@tatomorais)

Josias disse...

Pr. Renato,

Graça e Paz!!!

Se não me engano também é neste mesmo mês que por pura coincidência eles começam as campanhas de jejum de consumo e etc... e por incrível que pareça neste mesmo mês intensificam os encontros, encontrões, encontrinhos, pré-encontros e por aí vai...
AGORA ME DIZ UMA COISA; NÃO É NESTE MÊS QUE OS TRABALHADORES RECEBEM O 13º SALÁRIO?

Anônimo disse...

Não tenho nada contra quem comemora o natal na minha igreja não se proibe, mas eu não comemoro porque não acho graça nessa festa de interesses comerciais, celebro a vinda de meu Senhor ao mundo c/ uma oração de agradecimento todos os dias do ano,e tbém nunca li na biblia que Deus no orienta a comemorar o nascimento do Senhor Jesus. Mas já li que o Senhor Deus condena sim a adoração a rainha do céu a qual se enfeitavam árvores em forma de adoração. Então penso que devemos fugir a aparencia do mal. Fiquem na paz.

Marcelo Rosa Davila disse...

Permitam escrever minha opinião. Eu acho que aqueles cristãos que sentem que comemorar o natal é contrário/nocivo à sua fé, não comemorem; e aqueles cristãos que sentem que comemorar o natal não é contrário/nocivo à sua fé, comemorem. Portanto, quem não comemora, não julgue o que comemora e vice-versa.

Texto de referência "Um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come só legumes. Quem come não despreze a quem não come; e quem não come não julgue a quem come; pois Deus o acolheu" [Romanos 14:2-3].

Considero que o Natal é uma festa e não um ritual religioso. É uma data especial em que muitas pessoas se confraternizam, se voltam em torno da família e do perdão. É também uma data subutilizada por muitas denominações evangélicas, diante da oportunidade de se da falar da pessoa de Cristo, num momento em que todos estão mais sensíveis e abertos à reflexão.

É muito claro que Cristo não nasceu no dia 25/12, mas as pessoas lembram dele nesta data, fazer o quê? A solução está em II Timóteo 4:2 "prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda longanimidade e ensino".

Abraços,
Marcelo
www.estaentrenos.com

Rod disse...

Ótima reflexão Renato. PRa variar, acho que crente é quem complica demais as coisas... pros dois lados. É só ler os comentários acima.

disse...

Concordo plenamente contigo Renato, a minha árvore esta montada desde o mês passado rss, gosto muito deste clima natalino. Meu querido tenho lido cada absurdo pela blogosfera que dói os olhos, tem gente fazendo poesia para desvincular Jesus de papai noel, eu acho que é pra eles mesmo se convencerem só pode ser, como se precisasse disso, pelo amor de Deus nem da pra fazer uma comparação desta, Jesus é incomparável. Li um texto assim, Papai noel faz isso, mas Jesus faz isso, eu acho isso de uma pobreza enorme fazer esta comparação. Falam como se o cristão fosse um bitolado que não sabe separar as coisas, como se o cristão achasse que o natal fosse do papai noel, eu não aguento mais lê tanto besteirol como diz o silas. Fico espantada com as pessoas que ainda se preocupam com isso, tem tantas coisas acontecendo dentro da Igreja do senhor e muitos estão preocupados se o natal é do noel ou de Jesus, coam um mosquito e engolem um camelo.. rsss
Gostei do seu artigo, Feliz Natal. Paz!

Anônimo disse...

Caro pastor, a bíblia nos ensina que podemos todas as coisas, mas nem todas convém, não é mesmo?
Minha familia não comemora o natal, tenho 3 filhos de 8anos 5, e 9meses é claro que eles ficam curiosos e encantados pela decoração'presentes ceia,etc. Vivi um dilema pois, Jesus nos deixou uma forma de lembrar da sua vinda que é a santa ceia,e é isso que ensino aos meus filhos, Uma árvore com presentes aos pés me parece uma forma errada de falar de Jesus, espírito natalino aqui em casa,não tem lugar pois minha casa é lugar do Espírito Santo. Mas parte da minha parentela não conhece a palavra não fujo das comemorações, mas atente para os fatos.
o mes aproximado do nascimento de Jesus é março,
Deus deixou claramente especificado na palavra quais datas Ele queria que seus filhos observassem e se quisesse que o "jesus menino"fosse louvado diria.
A festa de natal em dezembro, '
e exatamente igual a festas pagãs da Europa medieval, que o catolicismo usou sincretismo para poder catequizar os povos que comemoravam os Solstício,papai noel presentes prefiro nem comentar...Não jugo os cristãos que comemoram o natal, respeito,mas não concordo. Acho tb que ninguém pode interferir no livre arbítrio das pessoas se nem Deus o faz. segue na paz e na graça de Jesus. att.:Clariana-mg

Israel disse...

Pr. belo texto!
Parabéns pelo Blog !
Parabens pela tentantiva de ajudar alguns a abrirem os olhos mas...
Eu cheguei a uma conclusão simples (e muito triste).

O que falta é santidade!

Como as pessoas não buscam santidade ficam procurando um método de se justificarem... aí começa... PRA SER CRENTE TEM QUE:

- usar a roupa "certa"
- ouvir a música "certa"
- louvar do jeito "certo"
- orar do jeito "certo"
- ter o Dom "certo"
- ouvir o "pregador" "certo"
- repetir os chavão "certo"

No fundo as igrejas estão cheias de Sepulcros Caiados !!!
Cheios de justiça própria...

Bando de fariseus hipócritas que ficam a ditar regras e fiscalizar os outros... com vários "isso pode... isso não pode"
e ainda são cheios de revelação "nova"... de unções "novas"....

E o pior é que essa gente tão "cheia de unção" e de "revelação" não enxerga o óbvio:
Que eles estão justamente ajudando o Inimigo, o Adversario de nossas Almas a fazer o que ele vem fazendo aos poucos que é desvincular a festa do festejado, eliminiando a cada ano A Mensagem do Nascimento de Cristo...fazendo o povo não pensar, refletir na Mensagem e sim, pensar em consumo... mas o Super-Crentes não enxergam... como são patéticos!

E assim caminha a Igreja Evangélica Brasileira.....

Anônimo disse...

Minha igreja está toda enfeitada \o/

Patricia Queiroz disse...

Olá Pastor... Sou de Belém do Pará...econcordo em absolutamente tudo q o senhor fala. Uns posts q li acima, dizem q damos menos importância a outras festas da Bíblia, não concordo, pois não é verdade! Da mesma forma q uns banalizaram o sentido da páscoa, hoje se vê as mídias dando importância as festas realizadas em grande escala pelos cristão! O natal deve ser comemorado, pois Jesus é a nossa promessa, sem Ele nada seríamos. Eu coloco uma árvore, enfeites, não pq valorizo isso, mas pq Jesus merece q no dia em q se é comemorado no mundo inteiro seu nascimento, uma festa bem decorada. Isso pra mim é uma desculpa sem noção e hipocrisia sem tamanho d muitos pastores e irmãos, pois muitos gastam forntunas, em festa de aniversário de igreja, de pastores e familiares,com decorações e balões. Até parabéns eu canto no dia de natal! Discordo d igrejas q se dizem evangélicas, cristãs, levantarem esse tipo de discórdias dentro das igreja.Isso é excesso de religiosidade e abuso de poder, como o senhor citou!

Vamos comemorar o NATAL, enfeitemos nossa casa, pq o Redentor do mundo nasceu,para nos trazer a Paz e Vida Eterna!

Abraços, Deus vos abençoe sempre!

:o)

Anônimo disse...

Não vivo mais a hipocrisia de dizer que o natal é a celebração do nascimento de Jesus (e blá, blá,blá), pode, de repente, ser a oportunidade de comer e ter comunhão com grande parte da família que às vezes só se encontra nas cerimônias de falecimento;creio que nenhum líder tem o direito de proibir alguma coisa, mas precisamos orientar, esclarecer...Qdo Saul resistiu à ordem de Deus para destruir os amalequitas ele explicou a Samuelporque havia feito aquilo: "porque temi o povo, e dei ouvidos a sua voz (I Sm.15:24)" Tememos o mundo, precisamos ouvir sua voz? O que ele tem a nos oferecer? Por que precisamos fazer o que eles fazem? Para levar-lhes a salvação ou para satisfazer as nossas emoções? Outro texto (mesmo que fora de contexto) me comove: "Os teus adversários bramam no lugar das assembléias, e alteiam os seus próprios SÍMBOLOS.[...]Já não vemos os nossos SÍMBOLOS, já não há profeta..."(SL74:4e9)De que vale uma simbologia que não fala da graça salvadora do Senhor Jesus e não o adora? O que símbolos natalinos representam? Celebre sempre que possível este amor glorioso, o amor de Deus, mas lembre-se, somos(ou devemos ser) no mínimo diferentes!!

Anônimo disse...

Pr Renato,
Eu amo ler seus artigos. Nasci num lar cristão. Uma família presbiteriana. Graças a Deus sempre comemoramos o Natal e tenho muitas saudades dos Natais em família, que iniciava com os hinos natalinos que meu pai tocava. Com árvore de Natal e músicas natalinas. Nunca se esquecendo do nascimento do nosso Senhor Jesus Cristo. Hoje, por ter me mudado de cidade e minha irmã frequentar a Igr. Presbiteriana Independente, estou congregando nela também e temos lá instalada uma bela árvore de Natal no templo. Não vejo problema algum. Infelizmente, não temos mais comemorado em família o Natal, pois a família do meu cunhado não curte. Mas eu ainda trago no peito a recordação dos meus Natais com meus pais, onde a família se reunia, cantávamos hinos natalinos, minha mãe falava sobre o nascimento de Jesus. Lembro também as comemorações natalinas da minha Igreja, coralzinho das crianças, teatrinho. Sabe, concordo plenamente com o Senhor. O Natal é uma data propícia para evangelizarmos.
Que Deus o abençoe.
Sonia Krebs

anderson disse...

Muito legal, mas acho que vc mais criticou pastores que proibem do que apresentou argumentos sólidos sobre o porque não há mal em se comemorar o natal! Mas muito boa a iniciativa em um mundo que entrega tudo ao diabo!

Carlos Alberto Bächtold disse...

A todos os amados irmãos, incluindo, claro, o irmão Renato Vargens.
Creio que não devemos julgar as pessoas que comemoram e as que não comemoram, porque, como diz a Palavra, "ORA, quanto ao que está enfermo na fé, recebei-o, não em contendas sobre dúvidas." (Romanos 14 : 1)

Contudo, acerca de nosso testemunho, acredito que devemos buscar sim, como diz acertadamente um irmão acima, a santidade, a Presença do SENHOR e unicamente a Sua Palavra. Doutra sorte, que força existirá em nosso testemunho contra a mentira, se nos posicionamos dentro dela, ainda que de modo diferente? Ou seja, se sei que a festividade de 25 de dezembro é pagã em sua origem, e foi introduzida no meio do cristianismo "professo" por Roma - a mãe das meretrizes e prostituições da Terra - como posso tomar parte de qualquer festa desse tipo? Temos que atentar para os princípios implícitos nas festas pagãs, nas adorações aos ídolos e condenar tudo o que DEUS condena. Caso contrário, daqui a pouco não acharemos mal algum em termos uma imagem ou quadro de "algum santo" em casa como simples decoração. Ora, a Palavra de DEUS nos adverte que se formos convidados a comer na casa de um infiel, e nos for dito que o que está posto na mesa foi sacrificado ao ídolo, então não devemos comer por causa da consciência alheia... O chamado natal está implícito nesse princípio... É uma festa oferecida à divindades pagãs, e portanto, não podemos tomar parte nela por causa da consciência alheia... Pois se tomarmos uma atitude contrária a tal festividade, acredito que o "choque" chamará mais a atenção e abrirá maior oportunidade para manifestarmos a verdade da Palavra, do que participando dela.
Pensemos, amados... Que peso terá minha palavra, dizendo a alguém que é errado embriagar-se, estando eu na mesma mesa com ele, bebendo da sua bebida?
Contudo, se for convidado a me assentar com ele para beber, eu me negar a isso, certamente ele perguntará: "Porque você não bebe?"
Com relação ao natal, deveria ocorrer da mesma forma. Deveríamos estar prontos para responder à pergunta: "Porque você não comemora o natal?" Quando então poderíamos abrir a Bíblia para a pessoa e mostrar-lhe as passagens que mostram que JESUS nasceu, muito provavelmente no mês de outubro (conforme cálculos que posso fornecer a quem quiser), que é quando os judeus comemoram a festa dos tabernáculos, na esperança de que DEUS habitará entre eles.

Fernanda disse...

Nós brasileiros estamos acostumados a comemorar a festa de Natal como da fraternidade, que tem como símbolo Santa Klaus ou Papai Noel. Não há referência suficiente ao nascimento de Cristo e a alegria é voltada para presentes trocados, alimentação farta, bebidas e muita conversa. Os cristãos deveriam, se é que querem festejar o nascimento do nosso Salvador, fazer esta comemoração em dia e mês diferentes e não seguirem calendários que não foram instituídos na igreja primitiva. Acho que o cristão de hj é um arco-íris de festejos, mas o aniversariante... está batendo à porta... ainda...

Jonis disse...

A paz do Senhor.

É pastor Renato, herança do Josué Yrion...
Sinceramente, será que podemos considerar esses generais da fé como pastores? Estão mais para lobos que consomem suas ovelhas numa nova modalidade: Banquete psicológico e financeiro.
Eu, particularmente, não sou fã de Natal, mas não proíbo a minha família de colocar aquelas lâmpadas coloridas na árvore comprada ou no coqueirinho que temos.
Mas, incentivo à minha esposa estar com os familiares nesta data. Acho importante estarmos em comunhão com a família.

Pr. Iranildo medeiros disse...

Vou ser bem simples em mihas palavras fomos chamados a comemorar a morte de Jesus e não seu nascimento.Saber que Jesus nasceu é muito bom, mas que ele morreu e ressuscitou é muito melhor.Quem ler entenda.

Anônimo disse...

Há diferença entre doutrina bíblica e doutrina cristã.

Vou usar algumas das oito acima listadas:

Exemplo 1: A Páscoa é doutrina bíblica?
Resposta: Sim. A Páscoa é doutrina bíblica.
A Páscoa é doutrina cristã?
Resposta: Não. A Páscoa não é doutrina cristã.

Exemplo 2: O Sacerdócio Levítico é doutrina bíblica?
Resposta: Sim. O Sacerdócio Levítico é doutrina bíblica.
O Sacerdócio Levítico é doutrina cristã?
Resposta: Não. O Sacerdócio Levítico não é doutrina cristã.

Exemplo 3: Circuncisão é doutrina bíblica?
Resposta: Sim. Circuncisão é doutrina bíblica.
Circuncisão é doutrina cristã?
Resposta: Não. Circuncisão não é doutrina cristã.

Exemplo 4: Sacrifício de animais é doutrina bíblica?
Resposta: Sim, é doutrina bíblica.
Sacrifício de animais é doutrina cristã?
Resposta: Não. Sacrifício de animais não é doutrina cristã?

Poderíamos fazer o mesmo questionamento para assuntos como: O sábado, A Festa de Tabernáculos, Ascender à Jerusalém (todas as pessoas de todas as nações teriam que visitá-la uma vez todos os anos), As demais festas hebraicas, enfim, tudo aquilo que o Velho Testamento (Velho Pacto) exigia como lei e que não podia ser desobedecida ou mudada.

Rev. Neri Campos
Manaus - AM

Anônimo disse...

Pastô,
A igreja está cheia de ditadores, vulgos pastores, uns mais espertos sabem muito bem como ludibriar os seus seguidores com belas palavras e os incautos que não examinam a Palavra de Deus vão sendo levados de um lado para outro. E é claro os que o sr. citou como exemplo que os também sem sabedoria e sem fazer uso de suas faculdades mentais se deixam enganar.

Leila Dohoczki disse...

Pouco me importam as religiões...Qual delas foi deixada por Jesus,indicada por Deus para que fosse seguida?Foi-nos deixado exemplos de amor, de fraternidade por um homem que foi condenado a morrer numa cruz para que todos compreendessem o que é a fé e o amor de Deus para com seus filhos.Isso não basta?Não me importa o dia em que comemoramos, importa-me lembrar que Jesus nos enviado.Não é a comemoração do nascimento de um homem, mas do que ele significa para a humanidade.E se alguém nomeou o dia 25 para ser o dia da comemoração, qual é o problema?Evidentemente que deveríamos nos lembrar de Deus e de Jesus, nas 24 hs do nosso dia, mas raramente o fazemos...Ousamos até pedir mais que agradecer.
Perdoem-me todos que estão se preocupando com a legitimidade da festa, com datas e citações bíblicas, mas a festa é na alma, no espírito,com árvore ou sem árvore, porque cada um manifesta sua alegria como quer. Talvez, se pudessem se deter nas 10 regrinhas básicas que nos foram deixadas, entenderiam que a chegada de Jesus é motivo de festa e a sua morte de reflexão. Se as crenças separam, deixemos que amor de Cristo nos una, afinal ele veio trazer a paz e não a discórdia. Ninguém tem o direito de impedir ou punir aquele que deseje festejar o nascimento
do homem que revolucionou o mundo pelo amor, sem nunca ter se imposto ou tirado o livre arbítrio, dado por Deus.

naielecorretora disse...

Lí,o post e os comentários acima,na igreja onde congrego nã há mais o culto de Natal,e eu quero fazer um questionamento e gostaria que um homem ou mulher) de Deus me respondesse a luz da Bíblia,por favor. Vivo num dilema desde que não temos mais Natal,quanto a isso ser correto não. Sei bem as coisas com relação a data de nascimento de Jesus não bater com o 25 de Dezembro,mas,o que me incomoda é ter a minha igreja de prta fechada numa data em com certeza estaria lotada de pessoas para ouvirem a VERDADE.Passamos o ano inteiro evangelizando e convidando as pessoas a visitarem uma igreja evangélica, e no dia que elas vão praticamente por vontade própria eu simplesmente digo : HOJE NÃO! Vejo durante todo o ano aproveitarem várias datas não bíblicas nas igrejas: dias das mães,dia dos pais,dia das crianças,dia do pastor,dia da esposa do pastor,dia do missionário,dia de oração,aniversário de igreja,de departamentos e etc e etc e etc. Me pergunto porque não posso falar do nascimento de Jesus no dia 25 de dezembro??Porque não podemos falar ao mundo que Jesus nasceu,a profecia se cumpriu!!´Porque no dia de Natal, dia em que Jesus é lembrado por todos nós,não posso falar no assunto.Fingir que a data não existe porque não foi criada por um irmão?! Eu não comemoro dia de santo,nem corto cabeças em meu aniversário,comemoro como ninrode,nerode(acho que é esse o nome) eu lembro,comemoro o meu Cristo,é Jesus,o meu amado! Será que é realmente um pecado enorme comemorar Jesus no dia errado( ou não comemorar como os Testemunhas de Jeová),ou mais errado ainda é deixar de falar de seu amor em qualquer tempo??

Anônimo disse...

Só lembrando que o dia 25 de Dezembro não é o dia exato em que Jesus Cristo nasceu e sim uma data constituida pela Igreja Catolica.

A comemoração do Natal de Jesus surgiu de um decreto. O Papa Júlio I decretou em 350 que o nascimento de Cristo deveria ser comemorado no dia 25 de Dezembro, substituindo a veneração ao Deus Sol pela adoração ao Salvador Jesus Cristo

Leila Dohoczki disse...

Gostaria de complementar meu comentário dizendo: Não me parece algo ruim, substituir a "adoração ao Deus Sol", pelo comemoração ao nascimento do homem que nos libertou das trevas que a ausência de amor impunha à humanidade. Amor esse que hoje norteia as relações humanas e que dá sentido á palavra Racional, quando o intuito é viver harmoniosamente com toda a criação divina.

ConJubacel 2011 disse...

Olá Pastor!
Interessante o tema mais não gosto de ficar discutindo o que é não referente a ganhar almas, ter vida de santidade. Comemoramos em nossa igreja o natal, e que diferença faz a data? É um dia em que separamos para lembrar que Jesus nasceu e sempre mostramos em nossa igreja que o que faz a diferença é Jesus nascer todos os dias em nosso coração, um ato de renovação, e de dependência de Deus.
E puxa vida trazemos tantas adultos e crianças para assistirem nossas cantatas, é uma linda oportunidade de almas se renderem a JESUS.
Tchau!

Moisés Dias disse...

Glória a Deus nas Alturas \0/ !! Eu gosto do Natal sou assembleiano de família assembleiana (4ª geração) e comemoramos o natal juntos! Neste dia nos reunimos e louvamos a Deus. E tem mais,não abro mão da rabanada, aletria e outras delícias, com moderação, claro!

zwinglio rodrigues disse...

Em relação ao Natal, fiz o mesmo que John Knox quando da Reforma Protestnate escocesa: aboli-o.

Abraços!

Mateus Abboud disse...

Pastor e amigo Renato, concordo em parte com o que disse. Só umas perguntas:

O que tem a ver árvore de natal com o nascimento de Jesus?
O que tem a ver troca de presentes com o nascimento de Jesus?
O que tem a ver aquela comilança toda com o nascimento de Jesus?

Bom, eu tenho árvore na minha casa, uso enfeites, troco presentes e como bastante. Mas o que isso realmente tem a ver com o nascimento do Salvador? A festa e a decoração em si não seria pagã?

Renato Vargens disse...

Querido Mateus,

Obrigado por ter escrito.

Sugiro a vc que leia o artigo: "O cristão deve comemorar o Natal?"
http://renatovargens.blogspot.com/2010/12/serie-natal-parte-1-o-crente-em-jesus.html

Através dele eu procura tratar de forma equilibrada sobre a importancia desta data.

Um grande abraço,

Renato Vargens

Elizana Saraiva Meira disse...

Boa tarde pr.Renato.
O Natal sempre traz magia onde a paz e o amor se renovam em cada coração. É quando ao som de músicas que celebram o nascimento de Cristo, as pessoas param para refletir sobre suas vidas e ações aquí na terra. Natal é sinônimo de paz, reencontro, mudança de vida, amor ao próximo; e todos as suas festividades nos trazem essas mensagens e esse intuito. É certo que a sociedade consumista utiliza-se deste e de todos os demais eventos para angariar mais dinheiro. Isso existiu, existe e sempre existirá. Mas daí a menosprezar o nascimento do Salvador é balela. As pessoas em todas as religiões comemoram este fato no natal. Penso que alguns cristãos se preocupam em demasia em criar regras a serem impostas aos seus fiéis e esquecem de que Deus não precisa de nada disso e de nenhum tipo de sacrifício ou 'ausência do mundo' de Seus filhos. Ele requer a simples aceitação da Graça que nos foi ofertada gratuitamente através de Jesus e a fé vivida e sentida daqueles que O seguem. Natal é LUZ; e esta luz deve resplandecer em nossas vidas nos 365 dias do ano. Que todos sejam inundados por Ela, resplandecendo aos que jazem nas trevas.
Paz de Cristo a todos.
Elizana.

Entreartes disse...

Olá Pastor!
Na minha igreja não se proíbe árvore de Natal,mas eu não tenho este tipo de costume porque estudei e entendi que não é um costume cristão,mas nada contra quem faz!
Acho legal os presépios,apesar de alguns irmãos discordarem,aliás acho muito bom ensinar as crianças da família a história do Natal usando o presépio montado.Acho que cada um deve seguir sua consciência ,se ela não te acusa por montar árvore tudo bem!
Eu não me sinto bem tendo uma árvore na minha sala,então ha aproximadamente 6 anos não monto mais!
Mas isso não mudou em nada minha alegria por comemorar o nascimento do meu Senhor!
Graça e Paz!

disse...

Brother, as festas que você citou não são cristãs, mas judaicas. Cristãos comemoram a Páscoa. Comemorar o Natal não tem nada a ver com o Sola Scriptura de Lutero e dos reformadores, pois até mesmo eles não viam objeção em comemorar o Natal. Vá à uma igreja Luterana e verás uma árvore natalina montada.

Auli Júnior disse...

Pastor Renato,
o senhor há de se lembrar o que penso sobre tudo isso, não serei cansativo em repetir.
Vou acrescentar que penso que não é o Natal, esta festa como é realizada, ser um grande presente para a humanidade. A providencia da salvação, na pessoa redentora de Cristo, sim. Continuo crendo que se não é bíblico, não vale, se foi instituída pela Igreja Católica Apostólica Romana, menos ainda, se veio do paganismo, menos ainda, se trouxe elementos pagãos, aí acabou. A árvore por exemplo que vem de cultos pagãos e sobre este costume pagão, há sim textos na Bíblia.
Para encerrar, se fosse mesmo oportunidade para evangelizar, os EUA e alguns países europeus, seriam 100% cristãos, porém a realidade é outra. Sempre gostei de ler livros de contos, e lembro de alguns, tanto de escritores europeus, russo e norte-americanos, sobre o tema em que o sentimento de frustração produzido pelas expectativas desta festa são latentes. Alguns destes contos até com certa pitada de humor.
Se fosse tão proveitoso para evangelizar, os EUA, o país que mais comemora esta data, não teria deixado oficialmente, segundo Obama, de ser um país cristão, e a Europa não estaria mergulhada na incredulidade e apostasia.
Mas desejo, ao contrário dos pastores citados no texto, muita harmonia e paz a todos os irmãos que gostam da data.
Fraterno abraço, Auli Fiaux Jr.

iltonc disse...

Se fala de "pastores que odeiam o natal" seria correto nomeá-lo e até apresentar as razões deles para tanto.

Mas acho que isso se enquadra na questão que Paulo tratou a respeito dos "fracos na fé". Se a pessoa acha que não deve comer carne (ou celebrar o Natal) que não o faça e ninguém (nem mesmo o Renato Vargens) tem o direito de força-las a isso.

Obviamente é diferente quando se trata de "pastores"; esses não podem ou não poderiam ser fracos.

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only