04 razões básicas porque alguns pastores e cantores Gospel querem entrar na cabana


As Redes Sociais são testemunhas do fato de muitos cristãos terem indicados em suas "timelines" o filme "A Cabana". Na verdade, vi alguns dos chamados "cantores gospel" incentivando os seus seguidores no Facebook a não perderem em hipótese alguma, aquele que segundo eles é um filme maravilhoso e com valores bíblicos. 

Ora, será que "A Cabana" é um filme bíblico mesmo? Será que os valores anunciados e defendidos pelo filme, são valores fundamentados nas Escrituras? Será que o ensino sobre a pessoa de Deus difundido pela película cinematográfica estão de acordo com a Santa Palavra de Deus? 

Penso que não. Na verdade, alguns  pastores, dentre estes eu, escreveram sobre o perigo de um cristão entrar na cabana. (leia aqui, aqui e aqui), 

Agora, por que então alguns pastores e cantores gospel se encantaram com o filme? Quais motivos levaram esses irmãos a desejarem entrar na "cabana'? 

Dentre inúmeras razões, citarei pelo menos quatro. Todavia, antes de fazê-lo, ressalto que acredito que a indicação do livro/filme por parte desses irmãos se dá de forma sincera e ignorante. Sincera porque acreditam que o filme retrata de forma fidedigna a pessoa de Deus e ignorante porque ignoram as doutrinas básicas e fundamentais a fé cristã.

Isto posto, vejamos pelo menos quatro destas razões:

1- O desconhecimento da doutrina relacionada a pessoa de Deus,  seus atributos, como também  aquilo que as Escrituras revelam ser a Trindade Santa.

2- Uma visão distorcida de cada pessoa da Trindade. O livro, por exemplo, traz a a ideia do Patripassianismo. Segundo esta heresia, Jesus foi, na verdade, Deus-Pai crucificado.  O patripassianismo é uma espécie de modalismo: negando a existência de três pessoas distintas na divindade, ensinando ser a Trindade a manifestação de Deus em três modos diferentes.

3- Uma visão antropocêntrica e humanista da redenção, recheada pela relativização do pecado e suas consequências.

4-  Uma visão distorcida da soteriologia, permitindo com isso,  a sutil e politicamente correta heresia do universalismo, isto é, a doutrina que todas as pessoas serão salvas, não importando a sua religião ou sistema de crença.

Pense nisso!

Renato Vargens

0 comentários: