Lutero e Catarina Von Bora, lições de um casamento cristão


Eu já contei nesse BLOG, um episódio muito interessante ocorrido entre o reformador alemão Martinho Lutero e sua esposa Catarina Von Bora. (leia aqui). Hoje, eu quero falar um pouco do casamento do alemão. 

Lutero costumava dizer que um dia perfeito culminava com música, uma boa salsicha e uma noite de amor com a mulher amada. Lutero, segundo boa parte dos relatos históricos, tinha um bom casamento. Apesar da diferença de idade entre ele e Catarina Von Bora (22 anos), eles se relacionavam muito bem. Certa feita ao falar sobre sua esposa ele disse: “Minha Kathe é, em tudo, tão dedicada e encantadora que eu não trocaria minha pobreza pelas maiores riquezas do mundo”. E mais tarde: “Não há na terra um laço tão doce, nem uma separação mais amarga como a que ocorre num bom casamento”. Finalmente, é bem conhecida sua declaração: “Não há relação mais bela, mais amável e mais desejável, nem comunhão e companhia mais agradável do que a de marido e mulher num casamento feliz”. 

Certa ocasião, Lutero escreveu que dava graças a Deus por sua esposa cuidar das lidas da casa e da educação dos filhos, de modo que isso não pesava tanto sobre seus ombros. Afinal, dizia ele,  tenho inúmeras demandas com o movimento da Reforma.  Sem sombra de dúvidas podemos dizer que o alemão, costumava demonstrar uma enorme confiança na capacidade de sua esposa de conduzir a casa. Contudo, apesar disso, quando podia estar em casa, junto a esposa e filhos Lutero dedicava-se ao louvor, as orações e ao ensino. Há retratos da época que mostram Lutero reunido com sua família, tocando instrumento musical em louvor a Deus.

A admiração de Lutero por sua esposa era tão grande que ele costumava chamá-la de “a estrela da manhã de Wittemberg”, já que diariamente levantava às 4 horas da madrugada para dar conta de suas muitas responsabilidades. Com muita freqüência, o reformador caía enfermo, e Catarina cuidava dele não simplesmente como esposa, mas quase como enfermeira, o que levava o reformador a amá-la mais e mais.

Lutero foi um cara diferenciado. Claro, que teve suas incongruências, contudo, olhar para sua relação familiar, não deixa de ser inspirador.

Renato Vargens




1 comentários:

Paz do Senhor Pastor,
Tudo bem?

Gostaria de ler uma boa biografia de Lutero, poderia me indicar alguma?

Grato,
Deus te abençoe!

14 de junho de 2017 11:27 comment-delete