04 razões porque a igreja brasileira está lotada de falsos convertidos



De norte a sul, de leste a oeste, em todo Brasil encontramos milhões de pessoas frequentando as igrejas evangélicas, contudo, ouso afirmar que boa parte daqueles que participam de nossos ajuntamentos, não foram regenerados pelo Espírito de Deus, nem tampouco se converteram ao Senhor. Na verdade, um número incontável  de "evangélicos" podem ser catalogados no rol dos falsos convertidos, isso porque, os seus testemunhos não condizem com sua fé, o que por si só nos fazem ruborizar de vergonha. Senão bastasse isso,  é absolutamente perceptível a ausência de frutos e arrependimento entre os chamados evangélicos, visto que a fé professada por esses não tem redundado em mudança de comportamento e vida.

Diante desse triste diagnóstico surge a pergunta: Por que nossas igrejas estão lotadas de inconversos? Quais são as razões para isso? Ora, não quero ser simplista em minha resposta, todavia, gostaria de elencar pelo menos 04 razões para isso:

1-) Abandonamos a pregação e a exposição das Escrituras. 

Lamentavelmente a igreja deixou de pregar a Palavra de Deus, preferindo anunciar um evangelho miscigenado, de conteúdo humanista e antropocêntrico, cujo objetivo final é a satisfação do cliente.

2-) Terceirizamos a liturgia, entregando na mão de músicos despreparados teologicamente a condução do culto.

No desejo de que a igreja cresça os pastores deixaram a direção do culto na responsabilidade de músicos e afins. O problema é que mediante canções estapafúrdias, bem como desprovidas de verdades bíblicas,  a teologia cantada aos poucos foi mudando o conteúdo do culto, levando a igreja a uma percepção absolutamente equivocada de quem seja Deus, como também as verdades fundamentais à fé cristã.

3-) A transformação do culto de louvor a Deus num culto de promoção de entretenimento.

A indústria do entretenimento tomou conta de inúmeras igrejas. Nessa perspectiva, pastores e lideres tem entendido que o culto a Cristo, precisa ser mais light, menos pesado, com uma pregação positiva, além é claro de proporcionar ao visitante a possibilidade de desfrutar de um ambiente com muita música, arte, teatro e shows. A conseqüência disso é que um numero enorme de pessoas,  não foram confrontadas pelo Evangelho, o que por conseguinte, não experimentaram a salvação em Cristo Jesus. ( para ler mais a respeito clique AQUI)

4-)  O critério usado para alguém se tornar  membro de nossas igrejas é raso, superficial, e inconsistente.`

O “evangelho” que temos pregado em nosso país tem contribuído para a inchação de nossas congregações, levando-nos a impressão de que este evangelho fashion é que faz a diferença no mundo em que vivemos.

Diante disso vale a pena perguntar: Será que as "portas de entrada" de nossas igrejas não estão escancaradas demais? Ora, não sei se você já percebeu, mas para se tornar membro de uma igreja local não precisa de muita coisa, não é mesmo? Basta o individuo "levantar sua mão, confessar Jesus", que tornar-se-á membro de uma igreja local, sem contudo que de fato tenhamos certeza de que nasceu de novo. 

Como já escrevi anteriormente penso que a  "catolização" dos evangélicos e a superficialidade de uma multidão de frequentadores de culto é um fator preocupante e que precisa ser tratado de forma firme por parte dos pastores brasileiros, até porque, se o não fizermos, experimentaremos em curto espaço de tempo o aparecimento de uma era pós-cristã.

Pense nisso!

Renato Vargens

14 comentários:

Triste é ver que uma doutrina tão fundamental como a Regeneração nem de perto é mencionada em nossos cultos. Penso que se os pregadores fossem mais enfáticos nesse sentido o número de falsos cristãos iriam se diminuir. Falo como alguém que presencia isso todos os dias. Com tristeza vejo muitos caminhando passos largos ao inferno, sustentando sua salvação em uma suposta decisão sincera por Cristo, e com uma moralidade falsa que não pode os ajudar em nada.

30 de dezembro de 2015 22:16 comment-delete

Nem discipulado estão fazendo

2 de janeiro de 2016 14:04 comment-delete

Era pós crista? Acho que nao...nisso vc se apressou...

3 de janeiro de 2016 04:57 comment-delete

Concordo amigo...É chegado o fim

4 de janeiro de 2016 19:39 comment-delete

Muito interessante esse texto.
O Pr norte americano Paul Washer tem batido bastante nessa tecla, de voltarmos ao verdadeiro evangelho.
Sobretudo, uma das razões que eu creio que tem enchido as igrejas de "bodes com pele de ovelha" é a crença de que a Oração da Entrega torna a pessoa salva. Eu acho essa oração bonita, ela marca um momento transitório, divisor de águas na vida da pessoa (ou deveria), mas a salvação vem pelo arrependimento e fé em Cristo Jesus. Arrependimento genuíno precisa obrigatoriamente gerar mudança, e fé genuína em Jesus significa seguir aquilo que Ele ensinou.
Mas tudo é uma série de fatores... Falta realmente aquele evangelho da Cruz, falta arrependimento, falta discipulado, daí as igrejas vão enchendo de gente que só suja a imagem da igreja no dia a dia.

Lamentável,
😔😥😢

22 de fevereiro de 2016 13:08 comment-delete

Poderia acrescentar também a ganância de muitos pastores. Os gananciosos evitam a Mensagem verdadeira e com conteúdo que confronta o pecador para não perder a "clientela".
De uma Igreja de trigos com joios transformaram num clube de joios com alguns trigos. Dizem aos frequentadores o que eles querem ouvir ao invés de dizer o que Deus quer dizer.
Graças a Deus que ainda há pastores de verdade que assumem o púlpito para trazer mensagens de Deus, que incentivam o estudo da Bíblia e doutrinam seus músicos ao invés de deixá-los a mercê do mundanismo.
Graça e paz!
Eduardo Leal

1 de fevereiro de 2017 12:52 comment-delete

Os falsos convertidos são fruto dos falsos pastores e pregadores.

1 de fevereiro de 2017 13:22 comment-delete

Existem os falsos pastores e os pastores que foram "falsificados". Alguns pastores são sérios, mas não tem a menor ideia do que fazer para que a igreja conheça a Cristo.

1 de fevereiro de 2017 18:41 comment-delete

Essa questão está deformada tanto nos apontamentos quanto nas suposições e palpites. Desde sempre o povo de Deus é um ajuntamento contaminado. Já nas épocas de Moisés era assim,e na atualidade apenas continua. Não gritem santidades e achologias pois isso qualquer tolo faz. Apontar e julgar é comum, mas agir em amor e edificação é o fato raro.

1 de fevereiro de 2017 20:12 comment-delete

E Jesus nos deu apenas 3 mandamentos : Amar a Deus, amar ao próximo e fazer discípulos. Mas em tempos líquidos isso acaba sendo tão relativizado que toda interiorizacao da Palavra na verdade acaba ficando só na aparência, na superficialidade, na forma e na estética, sem conteúdo algum relevante. Sinal dos tempos.

3 de fevereiro de 2017 08:10 comment-delete

Este texto coloca em palavras a realidade das igrejas atual. Mas precisamos lembrar do grande problema dos seminários teológicos dá atualidade que deixaram de formar pastores para formar teólogos. A ruína dos seminários foi iniciada quando se buscou a aprovação do MEC para os mesmo. Hoje estão perdendo os seus princípios cristãos que são paulatinamente substituídos por ideologias humanistas, como a teologia da missão integral. Todo desvio sorrindo começa com pastores que não mais tem como meta a Sola Scriptura.

6 de fevereiro de 2017 12:48 comment-delete

Olá.
Se o prezado me permite, eu acrescentaria um tópico, trata-se de algo comum e a vezes imperceptível, a saber que a igrejas passaram a valorizar mais os eventos que a vida comum e devocional, tão dela, enquanto comunidade dos salvo, quanto dos membros individualmente. Poucos são os que lêem a bíblia e oram regularmente, a maioria vai no evento, ou ou canta e sai satisfeito.

Pr Rovanildo

17 de março de 2017 12:23 comment-delete

Não somente deles, mas dos próprios que buscam pessoas assim. Digo pelo seguinte; se o cara é mesquinho e ganancioso, ele logo se identificará com tais "igrejas"... creio que a culpa é dividida entre quem quer e quem faz. Já os conscientes e de mente sã, procuram a verdade (assim como entendo que você também deve procurar).

17 de março de 2017 13:04 comment-delete

Concordo plenamente. Fiz o curso de teologia no Rj - Seminário do Sul. Havia professores que faziam um lobby tremendo para reconhecer o Seminário pelo MEC. Criticamos à época prevendo que isso ia acontecer. Não deu outra, pois os professores que faziam o tal lobby eram comunistas e, com a abertura a teologia liberal teve ingresso. Lamentável!

10 de abril de 2017 19:22 comment-delete